Prosecore

Escritório: +351 21 446 21 60

Linha Piloto de fabrico de sumos, doces e compotas

Linha Piloto de fabrico de sumos, doces e compotas

Se necessita de produzir em pequena escala alimentos com base em fruta ou vegetais, tais como compotas, geleias, preparados diversos, com ou sem pedaços, naturais ou concentrados e confeccioná-los de imediato em vidro, PET ou lata, a Prosecore oferece-lhe a solução ideal.

Através de um monobloco de bancada com várias estações efetuar operações de lavagem, trituração ou corte, mistura, concentração, enchimento e fecho, de forma muito profissional e com todas as garantias para obter um produto de qualidade.

Indispensável para quem quer produzir lotes de pequena médio volume, a bancada vem completa com os periféricos necessários ao bom funcionamento da linha (compressor de ar, caldeira de vapor), tornando- a independente e 100% autónoma.

Linhas piloto são sistemas de produção em escala reduzida, utilizados na indústria alimentar para desenvolver novos produtos ou processos, testar novas matérias-primas ou avaliar o desempenho de equipamentos. A sua finalidade é simular as condições industriais em menor escala, com o objetivo de reduzir os riscos e os custos envolvidos no desenvolvimento de novos produtos ou processos.

As linhas piloto são equipadas com unidades de processamento semelhantes às encontradas em grandes instalações industriais. Estas são utilizadas para testar os processos unitários, que são as operações individuais necessárias para a produção de um produto alimentar. Estes processos incluem, por exemplo, mistura, homogeneização, pasteurização e  embalagem, entre outros.

O uso de linhas piloto permite que os fabricantes de alimentos desenvolvam novos produtos com maior eficiência e rapidez, sem ter que investir em equipamentos de produção em larga escala. O que resulta em economizar significativamente tempo e dinheiro, bem como numa redução dos riscos associados ao lançamento de novos produtos no mercado.

As linhas piloto também são utilizadas para testar novas matérias-primas ou ingredientes, avaliar seu impacto na qualidade e segurança dos alimentos e determinar a melhor forma de processá-los. Isto permite que os fabricantes de alimentos se adaptem às mudanças no mercado e aos variados pedidos dos consumidores, criando produtos que atendem às suas necessidades e expectativas.

As linhas piloto também são úteis para a produção de pequenas quantidades de produtos, como sumos, doces e compotas, para testar novas receitas ou para a produção de produtos sazonais. Isso permite que os fabricantes de alimentos atendam às necessidades de nichos de mercado sem ter que investir em equipamentos de produção em larga escala.

As operações unitárias que podem ser realizadas nas linhas piloto incluem:

Mistura: processo de combinação de dois ou mais ingredientes para obter uma mistura homogénea.

Homogeneização: processo de redução do tamanho das partículas sólidas ou líquidas presentes em uma mistura para obter uma suspensão homogénea.

Pasteurização: processo de aquecimento da mistura a uma temperatura elevada por um curto período de tempo para eliminar microrganismos patogénicos e aumentar a sua vida útil.

Embalagem: processo de acondicionamento do produto em recipientes apropriados para proteger o produto e preservar suas características.

Armazenamento: processo de conservação do produto em condições controladas para garantir a sua qualidade e segurança.

Os resultados obtidos nas linhas piloto podem ser utilizados para determinar as melhores condições de produção em larga escala, como as temperaturas e pressões ideais para cada operação unitária

As linhas piloto também são importantes para garantir a segurança alimentar. Ao testar novos produtos e processos em uma escala reduzida, os fabricantes de alimentos podem identificar e corrigir potenciais problemas antes de introduzir os produtos no mercado em larga escala. Isso ajuda a minimizar os riscos de contaminação alimentar e a garantir a segurança dos consumidores.

As linhas piloto também são úteis para pequenos produtores de alimentos, permitindo que eles testem suas receitas e processos em uma escala menor antes de investir em equipamentos de produção em larga escala. Isso pode ajudá-los a evitar desperdícios de tempo e dinheiro e a garantir a qualidade e segurança de seus produtos antes de levá-los ao mercado.

É importante ressaltar que as linhas piloto não são uma solução única para todos os desafios enfrentados pelos fabricantes de alimentos. Elas não substituem a produção em larga escala e não podem ser usadas para todos os tipos de produtos alimentares. No entanto, elas são uma ferramenta valiosa para o desenvolvimento e aprimoramento de novos produtos e processos.

 

Em resumo, as linhas piloto são sistemas de produção em escala reduzida que permitem aos fabricantes de alimentos desenvolver novos produtos, testar novas matérias-primas, avaliar o desempenho de equipamentos e otimizar processos de produção. Os resultados obtidos nas linhas piloto são utilizados para determinar as melhores condições de produção em larga escala, reduzir custos, melhorar a qualidade e segurança dos alimentos e minimizar os riscos de contaminação alimentar.

Este website utiliza cookies e solicita os seus dados pessoais para melhorar a sua experiência de navegação. We are committed to protecting your privacy and ensuring your data is handled in compliance with the General Data Protection Regulation (GDPR).